Com o ano chegando no final, as famílias de todo o país se juntam para um jantar repleto de comida e... brigas! Confira como lidar com a situação

Dezembro está chegando e nada que represente mais o espírito natalino do que um bom jantar em família: fartura, pratos típicos de continentes distantes, presentes, aquela roupa super cara para não sair da sala de casa, amigo secreto e é claro, muita desavença, perguntas indiscretas e briga envolvendo política, futebol e religião (apesar dos constantes avisos de não se discutir sobre esses assuntos).

Mas apesar das aparências, ter um jantar harmonioso é muito mais simples do que acertar o ponto do peru   e muito mais provável do que receber um presente bom no amigo secreto. Basta seguir dicas simples e toda a briga e caos familiar podem ser evitados!

Final de ano é aquela época maravilhosa em que reunimos toda a família para uma grande briga coletiva
shutterstock
Final de ano é aquela época maravilhosa em que reunimos toda a família para uma grande briga coletiva


Confronto de gerações

A primeira dificuldade de um jantar em família é juntar na mesma mesa familiares de todas as faixas etárias possíveis - o que te faz pensar em como uma mesa das crianças (mesmo você tendo algo em torno de 20 anos) seria uma ideia fabulosa.

Esse fato faz com que qualquer assunto seja motivo para discussão, afinal pessoas de diferentes épocas tendem a ter pensamentos muito diferentes. Se você não tiver avós de mente aberta ou você for um jovem mais conservador, a treta está plantada. O segredo é simples: paciência . Muito mais gratificante do que estar certo e ganhar uma discussão com adultos, é ter um jantar gostoso com os seus avós, pais e tios!

Outro assunto delicado é o senso de humor do seu tio e as perguntas incovenientes da sua tia. Mas entenda, eles não são chatos ou pentelhos, e estão tentando da melhor maneira que podem se mostrar interessados na sua vida.

Nesses casos, a solução é simples. Na hora do clássico é pavê ou pá comê?  gargalhe como nunca na sua vida - não só seu tio ficará super feliz como a risada é contagiante, logo todos na mesa estarão rindo genuinamente. Quando a pergunta for  e os namoradinhos?  você pode sempre ser honesto e responder que não, responder positivamente e ver sua tia gaguejar sem saber como continuar a conversa ou então que você optou por seguir uma vida celibatária e religiosa, encerrando o assunto de uma vez por todas.

Política, futebol e religião

Já dizia o ditado que sobre certas coisas não se discute. Embora ninguém siga esse conselho milenar, pro bem e pro mal, dê uma pausa nas discussões caso as suas opiniões políticas não sejam as mesmas que a dos seus progenitores. É Natal,  e não época de eleições, então realmente vale a pena converter alguém para o seu lado da força nessa época do ano?

Por estar no final do ano, já sabemos o campeão do Brasileiro, do Mundial, da Libertadores e do Mundial, e é claro que vão rolar cutucadas dos torcedores dos times campeões com os torcedores dos times que não ganharam nada - se o seu time foi rebaixado então... Mas sem crise! Lembre-se dos mandamentos do Deboísmo  e evite as tretas, fique no sofá comendo pudim e esqueça um pouco dos esportes.

Uma das maiores provações do final do ano é que nem todo familiar é tão de boa quanto você, a diversidade religiosa é grande. Isso quer dizer que por mais que se evite discussões, pode ser que a briga seja instalada mesmo assim. Nesses momentos, você pode fugir pro quarto, ir ajudar a lavar a louça e ficar alheio a tudo, ou ir correndo na cozinha pegar a sobremesa para adocicar os ânimos e apaziguar a situação.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.